Pequeno grande lar

Sair de uma casa grande para morar em apartamento é uma prática comum atualmente. Arquiteta Helena Gatti dá dicas para transformar espaços.

Por Lilian Sartorio

 

Um dos primeiros desafios do escritório da arquiteta Helena Gatti, localizado na cidade de Itu, foi desenvolver o projeto completo de arquitetura de interiores do apartamento de um casal. O local precisava receber acabamentos, planejamento de layout, desenho e escolha de móveis de decoração. A profissional conta que o grande desafio consistia no fato deste casal ter vivido por mais de 30 anos em uma casa grande , no centro da cidade, e sofria essa mudança: uma nova localização, uma nova forma de morar sem quintal, redução de espaço para guardar seus pertences, a saída dos filhos de casa, o fato de poucos móveis poderem ser reaproveitados e a mentalização das gostosas memórias guardadas pela antiga casa. “Desenvolvemos o projeto com muito cuidado e respeito e, por isso, acreditamos que a arquitetura tem um papel importante nesta transição de espaços e de emoções que existem em torno daquilo que chamamos de ‘lar’”, comenta Helena. O objetivo dela foi fazer com que os clientes se sentissem em casa e felizes com a nova vida escolhida.

Para este objetivo, alguns móveis especiais foram selecionados e repaginados, ganhando lugar de destaque no apartamento mesclados ao mobiliário clean. Esta mistura de conceitos deu um ar leve e acolhedor aos ambientes. “Enfeites e quadros também nos auxiliaram para construir essa ponte entre o antigo e o novo. Os armários foram todos desenhados por nós visando o máximo aproveitamento dos espaços e com divisões adequadas ao tipo e quantidade de objetos a serem armazenados. Hoje, segundo o casal, ‘tudo tem o seu lugar’ e eles se sentem em casa, o que nos proporciona uma imensa alegria de dever cumprido”, ressalta.

Conforto e praticidade
A exigência em comum a todos os clientes de Helena que possuem apartamento é a praticidade. Todos almejam ambientes acolhedores e, ao mesmo tempo, personalizados. “As reformas e transformações normalmente estão acompanhadas da constatação de que o espaço não atende mais as necessidades ou que sua função não se encaixa nas atuais rotinas da família”, explica. O projeto arquitetônico é desenvolvido com base na compreensão dos anseios pessoais de seus usuários e as soluções propostas são compostas de materiais de fácil manutenção e durabilidade.  “É essencial respeitar as dimensões do ambiente trabalhando com mobiliário compatível e respeitando os espaços de circulação”, aconselha.

Mobiliário
A grande chave para um bom aproveitamento de espaço, de acordo com Helena, é definir com clareza o que precisa ser guardado no local, quantas pessoas irão utilizá-lo e qual o mobiliário necessário. Os móveis multiuso e os retráteis são ótimos aliados nesse momento. “Eles desempenham várias funções e assim conseguimos reduzir o número de móveis. Procuramos dar sempre preferência aos tons mais claros para os acabamentos das superfícies maiores e paredes deixando as cores mais quentes ou escuras para detalhes; essa medida evita aquela incômoda sensação de aperto. Uma boa iluminação e espelhos estrategicamente colocados são sempre bem-vindos para se conseguir uma maior amplitude do espaço”, identifica Helena.
Cozinha
A palavra de ordem para cozinha é funcionalidade: tudo à mão. A dica da profissional é sempre posicionar os equipamentos de forma a facilitar o processo de cocção e planejar as alturas, as passagens e os acessos ergonomicamente, personalizando tudo de acordo com as pessoas que utilizarão a cozinha. “Os três pontos principal deste ambiente são pia, fogão e geladeira, que devem ser facilmente acessados. Recomendamos que as distâncias entre eles formem um triângulo. Próximos a eles é fundamental ter um bom número de tomadas em altura de bancada para facilitar o uso dos equipamentos auxiliares como batedeiras e liquidificadores, por exemplo”, indica.
Outra sugestão importante é sobre a iluminação: deve ser auxiliada por pontos direcionados localizados sobre a bancada de trabalho evitando a ocorrência de sombras. Utilizar lâmpadas tipo Led quente também é indicado para obter um ar mais acolhedor ao ambiente.

Sacada
Muitos apartamentos antigos e até mesmo os mais modernos possuem sacada em sua infraestrutura. A fim de ganhar espaço, muitos moradores buscam a unificação destes ambientes e Helena criar conexão entre os espaços. Uma maneira eficaz de conseguir este resultado, de acordo com a profissional, é escolher revestimentos de piso e parede e repetir o padrão nos dois ambientes. “O fechamento da sacada com vidro – conforme as determinações de cada condomínio – também é indicada e permitirá a eliminação da porta existente entre os dois ambientes, já que não será mais necessária”, completa.
Outra dica importante é colocar persianas ou cortinas junto ao fechamento do vidro para que o morador tenha a possibilidade de controlar a incidência solar no interior do apartamento quando desejar.

Investimento
Um dos objetivos dos projetos arquitetônicos é planejar o passo a passo para a realização do sonho dentro do valor disponível para investimento. “Para o desenvolvimento do projeto tomamos por base os desejos do cliente, o espaço e o orçamento disponíveis. Apenas com estas informações bem entendidas é que iniciamos o processo de criação e propomos as modificações, acabamentos, mobiliários e itens de decoração”, esclarece Helena.

%d blogueiros gostam disto: